Voltar Novidades Fã Clube Shows Covers Coberturas Membros Fanzines Cronologia

NOVIDADES SOBRE ELVIS PRESLEY - 2020


A COMUNIDADE ELVIS ESTÁ SE RENOVANDO?
Artigo: Marcelo Neves - janeiro de 2020

 



Há muitos anos um assunto é recorrente entre meus amigos fãs de Elvis, a clássica dúvida se a “comunidade Elvis” estaria se renovando ou não. Este foi o motivo que postei uma pesquisa em nosso grupo no Facebook com 5437 membros (na época). O resultado dessa pesquisa não indica uma “verdade absoluta”, pois foi aplicada somente no grupo “Elvis Triunfal” e não no “universo Elvis” em todo o planeta. De qualquer forma podemos levantar algumas hipóteses desse cenário. O resultado da pesquisa confirmou a minha percepção e de muitos amigos, um ótimo tema para refletirmos o atual cenário que vivemos. A pesquisa foi dividida por faixa etária que contemplava um período de 10 anos cada. Dos 5437 membros no grupo, 709 responderam a pesquisa até o dia 31 de dezembro de 2019. O resultado foi o seguinte: O percentual maior de fãs (42,60%) está entre 50 a 59 anos (nascidos entre 1960 a 1969). É um grupo que nasceu no período em que Elvis estava mais dedicado ao cinema e que voltaria aos shows no final da década. Acompanhou também os fatos ocorridos na década de 70. A segunda faixa etária mais presente de fãs (29,9%) está entre 40 a 49 anos (nascidos entre 1970 a 1979). Neste caso apenas uma parte desse grupo ainda se lembra do período em que Elvis morreu e toda aquela repercussão. Foi a última geração que acompanhou os fatos de Elvis ainda vivo. Com a morte de Elvis houve uma grande exposição na mídia, venda de discos, exibição de filmes na TV o que acabou gerando interesse de muitas crianças na época. O grupo etário a seguir com 12,69% é de 30 a 39 anos de idade (nascidos entre 1980 a 1989), uma geração do pós- Elvis que por diversos motivos teve contato com sua obra e se tornaram fãs! É um grupo que ainda pegou a transição do LP para o CD e acompanhou na infância diversas exibições de Elvis na TV. Essa geração também nasceu numa década em que o VHS se tornou popular no Brasil. Depois com (5,36%) vem o grupo de 60 a 69 anos (nascidos entre 1950 e 1959). Foi uma geração que conseguiu na adolescência assistir diversos filmes de Elvis no Cinema e acompanhar o lançamento de grande parte de seus álbuns. Depois desse grupo vem a faixa etária de 20 a 29 anos (4,65%) que são os nascidos entre 1990 a 1999. É uma geração que acompanhou o nascimento da internet, a proliferação da música digital e se tornaram fãs por contato da família ou pela TV (claro que há outros motivos, mas a grande maioria costuma verbalizar dessa forma. Após esse grupo temos os fãs de 70 a 79 anos (nascidos entre 1940 a 1949). Eles são apenas 3,53% da pesquisa, mas estão entre os mais privilegiados, pois acompanharam boa parte da carreira de Elvis! Não temos relato em nosso grupo, de fãs acima de 80 anos, o que seria a geração contemporânea de Elvis. E por último vem a geração de 10 a 19 anos (nascidos entre 2000 a 2009) com apenas 1,27% na pesquisa. Essa foi a geração que descobriu Elvis de diversas formas: parentes, música digital, CD, TV ou pela internet. É a geração que nasceu com as redes sociais, o streaming e o celular como principal aparelho de comunicação. Mediante a estes dados podemos levantar algumas hipóteses (o que não significa a verdade absoluta). 81,39% dos fãs presentes nessa pesquisa são do período em que Elvis estava na ativa e 18,61% surgiram após sua morte em 1977. Usando o critério da tendência internacional, é considerado “jovem” os que estão entre 15 a 29 anos de idade. Nesta pesquisa poderíamos considerar que cerca de 5,92% dos fãs estão na categoria “jovem”. Podemos dizer que existe o surgimento de novos fãs? Sim, porém esse surgimento é pequeno em comparação ao universo de fãs. Ao meu ver essa baixa renovação de fãs está vinculada a um conjunto de causas. Por mais que Elvis tenha um legado artístico enorme, já são 42 anos desde que encerrou sua carreira ao falecer em 1977 e isso obviamente tem um peso. A forma de se consumir e escutar música mudou ao longo dos 42 anos e os detentores da marca Elvis devem estar atentos a isso. Elvis enquanto “produto” é totalmente “vendável”, pois apresenta um legado musical incrível e uma história de conquistas que impressionam até hoje. O “x” da questão é como chegar até essa nova geração! A internet e o Cinema parecem ser o caminho a seguir pois são dois meios que o jovem se identifica. Há desafios nesse caminho, mas há também sinais que Elvis está renascendo entre os jovens e a perspectiva é boa devido a cinebiografia que será lançada em 2021. Resolvi fazer essa pesquisa em 2019 exatamente para compararmos os resultados depois da exibição do filme em 2021. Se os resultados forem bons como ocorreram nas cinebiografias de “The Doors”, “Johnny Cash”, “Elton John” e “Queen”, Elvis poderá alavancar uma nova legião de fãs. Gostaria de compartilhar com vocês algumas discussões sobre essa mudança na forma de produzir e receber informação que são importantes para encontrarmos caminhos de divulgação. De duas décadas pra cá, o número de “informação” que é despejada na mente das pessoas é muito superior do que recebia o cidadão no século XX. Somos bombardeados todos os dias de informação vindo do Facebook, Instagram, Twitter, Whatsapp, Web Sites, etc. Hoje se tem a ideia que as pessoas são mais “atualizadas” por terem mais “informação” (em comparação ao século passado), porém há um fato curioso nessa teoria. Ao mesmo tempo em que elas são bombardeadas de informação, não há tempo suficiente para se aprofundar em cada uma delas, pois todas as plataformas digitais são feitas para gerarem “visualizações”, não necessariamente fazer você ficar parado num só conteúdo e se aprofundar . Visualização é lucro para as plataformas e esse é o foco delas. Hoje as pessoas recebem fragmentos de vários assuntos e muitos destes fragmentos carecem de fontes confiáveis. Qualquer um pode gerar conteúdo na internet e que vai circular rapidamente pelo mundo todo. Mudou-se a forma de se curtir música em relação ao século passado, não existe mais a cultura de se “escutar o álbum” e sim escutar o single do momento. Muitos artistas optaram em lançar singles ao invés de gravar várias canções para montar um álbum! Tudo hoje é acelerado e grande parte das pessoas perdeu aquela característica de “degustar” a informação ou degustar o “novo álbum”. Tudo tem que ser passado de forma rápida, pois a fila anda e tem mais informações chegando. Não é raro ver comentários de jovens dizendo que não irão ver um vídeo de 15 minutos por considerá-lo “longo demais”. Hoje a pratica de colecionar se transformou num pequeno nicho de fãs, o material físico como CD’s, LP’s, Livros está cada vez mais escasso e geralmente são itens importados. Mas a modernidade digital também trás esperança! Nota-se um crescente aumento de jovens youtubers fazendo “react “das canções de Elvis, um gesto espontâneo que não teve qualquer participação da EPE. Essa tendência começou nos Estados Unidos e agora está se espalhando pelo mundo! Acompanho de perto essa movimentação e estou bastante otimista! Não é raro ver jovens comentando neste vídeos que só conhecem uma ou duas músicas de Elvis, mas que ao avaliar Elvis ficam espantados com o talento do cantor. Muitos começaram a fazer uma serie de vídeos devido a alta visualização e a reação dos inscritos. Quero aqui destacar a youtuber Sushi, uma americana que avaliou a canção “Suspicious Minds” e que já teve 204.000 visualizações. Sushi é uma jovem na faixa dos vinte anos que só conhecia “Hound Dog” e disse que não imaginava o quanto Elvis era “legal”! Pode parecer estranho para nós que escutamos Elvis todos os dias, mas há sim muita gente que pouco conhece Elvis! Para gostar de Elvis é simples, basta mostrar o que ele fez de melhor que as chances são grandes! Elvis terá uma grande oportunidade em 2021 com sua cinebiografia no Cinema. Esta produção poderá despertar mais o interesse da juventude o que não é nada ruim. Os fãs veteranos terão um papel importante, pois mostrarão a essa nova geração o caminho das pedras, material raro e a importância de Elvis numa época em que estes jovens nem eram nascidos! Há uma grande parcela de fãs que se tornaram fãs por influência dos veteranos (sou um desses casos rsrs). Essa discussão não se trata de “substituir os fãs veteranos”, mas perpetuar Elvis ao longo das futuras gerações. Conclui também com essa pesquisa a grande fidelidade de seus fãs, que independente da idade sentem muito orgulho de serem fãs! Todo fã de Elvis em pequena ou larga escala sempre que pode faz algo pra divulgar seu ídolo! Ver um jovem “descobrindo” Elvis pela primeira vez é algo que me fascina, pois me recordo o quando isso mudou a minha vida! Este artigo não traz respostas concretas, mas é um bom tema para buscarmos soluções...

 


 

 

ELVIS 85 ANOS - artigo: Marcelo Neves - 8 de janeiro de 2020

Há 85 anos no dia 8 de janeiro de 1935 nascia Elvis Presley. O menino que nasceu pobre e que anos mais tarde se tornaria num dos maiores ícones da cultura pop, ainda desperta discussões e paixões ao redor do mundo. Desde que explodiu mundialmente em 1956 Elvis não teve trégua, seja do seu trabalho como artista ou do foco da mídia que não largava do seu pé. Mesmo depois de sua passagem física em 1977 o mundo não se acostumou viver sem Elvis, seja pelas polêmicas em torno do seu nome ou pelo incrível legado que deixou.  Acho que o principal fator que torna Elvis famoso é o conjunto de suas qualidades, muito maior que qualquer defeito que teve como ser humano. De tempos em tempos tentam minimizar sua importância dizendo que se apropriou da música de outros e que teria feito sucesso apenas por ter sido um homem "bonito"! Como todos sabem, o foco de Elvis era a "Interpretação" e nesse quesito Elvis era um mestre no palco. Seu brilho no palco era tão intenso que dispensava qualquer tecnologia para atrair a atenção do público. Bastava caminhar pelo palco ou fazer qualquer gesto que todas as atenções estavam nele. Elvis era natural e imprevisível no palco, sua sinceridade como artista o aproximava das pessoas. Era um gigante como artista e incrivelmente tratava todos de maneira igual. Quando observo o que Elvis fez em seus apenas 42 anos, vejo o quanto estava a frente de seu tempo. Quando estava no palco independente do início ou fim da carreira, nota-se um homem sincero ao expor sua arte, um homem que queria trocar emoções com seus fãs, algo que fez até o fim de sua vida. Elvis venceu o "impiedoso" tempo, seus críticos e a todos que duvidavam que seria lembrado no futuro. Mesmo aqueles que não o virão ao vivo ou que não eram do seu tempo, sentem essa "força" tão difícil de se explicar racionalmente! Pode soar como ingenuidade para alguns, mas acho que mediante a tudo que Elvis ainda nos proporciona, temos muito a agradecê-lo! Por isso meu amigo fã de Elvis, comemore os 85 anos do "Universo Elvis"!